Ideia criada numa pequena conversa com os meus alunos, ao sabor de um amor entre 7 Luas e 7 Sóis, desaguada num desfile de amores impossíveis, paixões loucas, seduções inquietas, mergulhadas num oceano de uma língua sem fronteiras…

Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008
José de Almada Negreiros
Rondel do Alentejo
 
Em minarete
mate
bate
leve
verde neve
minuete
de luar.
 
Meia-noite
do Segredo
no penedo
duma noite
de luar.
 
Olhos caros
de Morgada
enfeitada
com preparos
de luar.
 
Rompem fogo
pandeiretas
morenitas,
bailam tetas
e bonitas,
bailam chitas
e jaquetas,
são as fitas
desafogo
de luar.
 
Voa o xaile
andorinha
pelo baile,
e a vida
doentinha
e a ermida
ao luar.
 
Laçarote
escarlate
de cocote
alegria
de Maria
la-ri-rate
em filia
de luar.
 
Giram pés
giram passos
girassóis
e os bonés,
e os braços
destes dois
giram laços
ao luar.
 
O colete
desta Virgem
endoidece
como o S
do foguete
em vertigem
de luar.
 
Em minarete
mate
bate
leve
verde neve
minuete
de luar.


publicado por LCC às 14:52
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

José de Almada Negreiros

últ. comentários
Donzelas do ApocalipseSem pai, sem mãe, Sem leite ...
Mais uma vez o meu obrigado pela tua visita Inês, ...
Foi com o Evangelho que fiquei presa à escrita de ...
Obrigado Inês pela tua visita e pelo teu comentári...
Mais um texto que não conhecia.Numa cadência quase...
links
tags

todas as tags